Givanildo Sales explica a não vinda para o Potiguar: “teria de conversar com o presidente do CSE pessoalmente”

O técnico disse que teria de ter uma conversa com o presidente do CSE para resolver a situação. Foto: Extraída da internet
O técnico disse que teria de ter uma conversa com o presidente do CSE para resolver a situação. Foto: Extraída da internet

Desde que o nome de Givanildo Sales pintou como acertado com o Potiguar para o restante do Campeonato Estadual no início da tarde desta sexta-feira, 10, o editor deste blog entrou em contato com o técnico, via whatsapp, para saber se ele viria ou não para o alvirrubro. Em todas as tentativas ele não respondeu, mesmo visualizando-as.

No começo da noite o treinador do CSE enviou sua resposta aos questionamentos. Segundo ele, o clube fez mesmo uma proposta para que pudesse vir comandar o time na competição, mas para que pudesse se desligar do clube alagoano precisaria, primeiramente, conversar com o presidente e o diretor do clube do interior de Alagoas, dada a urgência do time mossoroense em anunciar o técnico para substituir Dário Lourenço, demitido na última quinta-feira, 9.

“Realmente o pessoal (Potiguar) fez uma proposta para mim, mas só que eu disse a eles que tinha de comunicar ao meu presidente e ao meu diretor de futebol. Meu presidente é dono de lojas aqui na cidade e em outras cidades daqui de Alagoas. Ele tava o dia fora e falei com ele por telefone que queria falar com ele para resolver essas coisas pessoalmente. Eu sou um cara que gosta de entrar pela porta da frente e sair pela porta da frente e não entrar pela porta da frente e sair pela da cozinha. Acho que seria muito antiético dizer ao presidente que estava indo embora. O diretor Luzenildo achou que ia demorar muito. Eu deixei ele bem a vontade pra fechar com quem ele quisesse. O pessoal do CSE também disse que não me liberaria. Estamos fazendo uma boa campanha na competição Graças a Deus”.

Sales disse que na hora em que recebeu as mensagens não poderia responder naquele momento porque tinha de conversar primeiro com o presidente do CSE. “Eu não poderia responder porque tinha de conversar primeiro com o clube usar de ética e ser homem e falar pessoalmente com o presidente e o diretor de futebol. Então é isso aí. Eu usei de ética profissional de sentar primeiro com o meu presidente e diretor de futebol. Se o Potiguar estava um pouco apressado para resolver as coisas deixei eles a vontade”, enfatizou Givanildo que ainda usou, hipoteticamente, uma situação se ele treinasse o Potiguar e tivesse um convite de outro clube.

“Eu até falei para o diretor do Potiguar se ele fosse presidente e tivesse em Natal ele queria que eu comunicasse a ele que estava saindo. Então eles estavam com um pouco de pressa para anunciar”, encerrou.

Vale lembrar que o Potiguar acertou com o técnico Emanoel Sacramento na tarde desta sexta-feira.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s